Um panorama das eleições municipais na Região Norte do Brasil

Por Maíra Tura e Leticia Silveira

O presente texto analisa as disputas eleitorais para as eleições municipais do ano de 2020 na Região Norte do Brasil a partir do fim das pré-candidaturas e aprovação dos candidatos em convenção partidária. Pesquisamos as seguintes capitais: Belém (PA), Rio

Branco (AC), Macapá (AP), Manaus (AM), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR) e Palmas (TO). Levantamos dados sobre as pré-candidaturas e a efetivação das mesmas no período de 17 de setembro até o dia 17 de outubro nos portais de O Globo, Exame, Brasil de Fato, UOL, Toda Política, Folha de S. Paulo e O Norte.

A hipótese que trabalhamos no texto é de que os resultados das últimas eleições municipais e federais interferiram diretamente nas decisões dos campos políticos em relação aos seus representantes e alianças para as prefeituras de 2020. Diversos grupos de direita vão disputar em condições de vencer na maioria das capitais, enquanto os grupos de esquerda estão enfraquecidos, exceto em Belém, onde se construiu uma frente ampla de esquerda que tem chances de sucesso. Essas variáveis guardam relação com as tendências apresentadas nas eleições de 2012, 2016 e 2018.

Buscamos trabalhar esta hipótese analisando a decisão dos partidos pelos seus candidatos e as alianças dos campos políticos. Assim, identificamos quais são os candidatos e alianças que estão na frente nas pesquisas de intenção de voto, tentando projetar os principais confrontos. 

Principais confrontos das capitais da Região Norte

A menos de 30 dias para as eleições, podemos ver um quadro eleitoral bem desenhado, a partir das pesquisas eleitorais que estão sendo realizadas. Temos em todas as capitais projetos diferentes, com objetivos e prioridades diversas, com confrontos de tendências políticas que vão desde a extrema direita até a esquerda radical, como é o caso do PSOL. No mês de setembro, as porcentagens de votos de candidatos em muitas capitais estavam bem diluídas, porém agora elas já começam a indicar os candidatos favoritos à eleição.                    

Em Belém (PA), o quadro eleitoral teve a alteração dos principais candidatos em disputa. Simão Janete (PSDB) teve sua candidatura impedida por pressões políticas pois está respondendo a inquérito sobre a prestação de contas de 2018, quando era governador de Belém, e o PSDB optou por não colocar outro candidato com a sua sigla.  Além disso, Eder Mauro do PSD, que aparecia em terceiro lugar nas intenções de votos, por conta de confrontos dentro do partido não foi escolhido como nome para disputar as eleições municipais na capital e em seu lugar está Gustavo Sefer sem chances de eleição.  Com isso, Edmilson Rodrigues (PSOL) aparece na frente com larga vantagem em comparação aos demais candidatos. Os partidos de esquerda conseguiram um feito raro: a união em torno de uma candidatura. Esta, por sua vez, apresenta o líder na pesquisa mais recente do instituto Ibope. O deputado federal Edmilson Rodrigues montou uma coligação que reúne o PT — partido de seu vice, Edilson Moura-, PDT, PCdoB, Rede e UP. Edmilson lidera a corrida eleitoral, com 39% das intenções de voto, o que só confirma que fazer a frente de esquerda foi a escolha certa para se ter a eleição de um prefeito progressista em Belém. 

                                                                            Pesquisa Ibope PA 02012/2020[1]

Em Manaus (AM), continua a se perceber uma tendência de melhor desempenho eleitoral para a centro-direita em 2020, que não teve uma alteração significativa nas pesquisas eleitorais, A coligação MDB-PODEMOS-PMDB-DEM, de Amazonino Mendes (PODEMOS), tenta a reeleição e continua na frente em disputa com a coligação PMB-AVANTE-PROS-PSDB, que vem com David Almeida (AVANTE), que parece ser o único que teria força para tirar Amazonino do cargo.  Já o terceiro lugar nas pesquisas realizadas em setembro, o candidato José Ricardo, da coligação PT-PSOL, que tenta romper com a tendência conservadora que venceu as últimas duas eleições municipais, caiu para quarto lugar e o Capitão Alberto (republicanos) subiu para terceiro, o que comprova o enfraquecimento da esquerda – como já era esperado por conta do resultado das últimas eleições. 

                    Pesquisa portal M2 News 

Em Macapá (AP), o cenário político não está bem definido. Na oposição, a candidatura de Capi (PSB), da coligação PSB-Rede, conta com os votos de centro-esquerda e está numericamente à frente em um empate técnico com outros 3 candidatos. Estes são: Patrícia Ferraz (Podemos), como uma alternativa aos políticos clássicos; Josiel Alcolumbre (DEM), da maior coligação em disputa – com Avante, PSDB, PP, DEM, PDT, PSC, PSD, PROS, PV. PL, Republicanos, Solidariedade -, que parece contar com os votos de centro direita e de extrema direita; e Dr. Furlan (CID). 

Pesquisa Ibope AP-06881/2020

No último mês, o Nudeb fez projeções das eleições da capital do Tocantins e ainda permanece neste trabalho agora em outubro. A projeção feita é a de que o PSDB está tentando uma recandidatura. Este segue com uma vantagem de 16%, a maior observada em toda região norte do 1° ao segundo colocado nas pesquisas. Esse fato notável torna possível que a candidata Cinthia Ribeiro (PSDB) seja eleita já no primeiro turno, um feito único na história da cidade. Ainda se pode observar que comparado à pesquisa anterior, o professor Junior Geo (PROS) se mantém em 12%; nas posições abaixo, porém há uma mudança de lugar no ranking. A candidata Vanda Monteiro (PSL) perdeu sua posição de 8% para Marcelo Leli, por diferença de decimais. Dito tudo isso, se pode perceber que Cinthia Ribeiro tem forte indicativo de que será novamente prefeita de Palmas. Tal pesquisa foi publicada sob a identificação TO-07805/2020.

A pesquisa Ibope sob o nº TO-07805/2020. 

Na capital do Estado do Acre, continuam a alavancar na pesquisa o PSDB e o PSB, que conta com uma das raras mulheres a concorrer à prefeitura na região. É Socorro Neri (PSB). Comparando à disputa eleitoral ao mês anterior, as intenções de voto no candidato Minoru (PSDB) cresceram 3% em relação ao último dado analisado. Sua concorrente mais próxima na corrida eleitoral – Socorro do PSB – ao contrário, caiu dois pontos percentuais. O candidato Minoru alcança 27% enquanto Socorro tem 19%.  A pesquisa foi realizada pelo Instituto Haverroth de Política, Estatística e Comunicação, sob o registro AC06579/2020 e sua margem de erro é de 5%.

                                      Pesquisa AC06579\2020 

Em Porto Velho (RO), as tendências vistas anteriormente se alteraram com a saída do candidato mais forte da disputa. Leo Moraes, do Podemos, foi impedido de disputar a prefeitura por estar sendo investigado. Com isso, Hildon Chaves (PSDB), que aparecia em terceiro na última pesquisa eleitoral, agora aparece em primeiro com uma boa vantagem em relação ao segundo lugar que é Vinicius Miguel (CID). Neste contexto, Cristina Lopes (PP) perde força e aparece como a terceira opção. 

             Pesquisa Ibope RO-05800/2020

Segundo a pesquisa feita em Boa Vista (RR) as tendências vistas no último mês permanecem as mesmas. Com Arthur Henrique (MDB) na frente logo após Ottaci (SD) os dois estão bem próximos e o terceira opção aparece bem abaixo com uma probabilidade baixa de subir seu eleitorado Nicoletti (PSL). A única certeza que podemos ter com a projeção da última pesquisa é que mais uma vez teremos um prefeito com pensamento conservador, liberal e de centro direita no comando de Boa Vista.

Pesquisa ibope RR 02623/2020.

Conclusão 

A menos de 20 dias para o primeiro turno das eleições municipais, as capitais da região Norte parecem já estar com os candidatos bem definidos em suas posições. A extrema direita aparece com fortes candidatos devido ao aumento da popularidade de Bolsonaro, uma figura liberal na economia, autoritário na política e conservador nos costumes, conforme o exposto no Boletim do mês de agosto, que demostra o crescimento dessa vertente no país como um todo (tal como aconteceu nas eleições de 2016 e 2018).

Já a centro-direita disputa em Manaus com duas coligações muito fortes e parece que essa será a tendência que permanecerá governando a cidade. A mesma tendência aparece em Porto Velho, Macapá e Palmas; sendo que na capital do Tocantins, ao que tudo indica, já podemos ver o desenho claro da eleição do PSDB, com a reeleição de Cinthia Ribeiro com ampla vantagem.

A esquerda está com uma coligação PT-PSOL em Belém, onde aparece como favorita com uma frente ampla de esquerda, porém nas outras capitais ocorre a fragmentação da mesma, o que dificulta que os campos mais progressistas cheguem ao segundo turno. O enfraquecimento do “lulismo” – exposto no Boletim de agosto – também parece persistir na intenção de voto das pesquisas analisadas. Além disso, a centro-esquerda ainda aparece como forte candidata a chegar no segundo turno com a coligação PSB-PDT em Rio Branco.

Na maioria das capitais, pelas projeções realizadas, acabará ocorrendo o 2º turno para a escolha dos prefeitos, pois nenhum candidato deverá alcançar mais de 50% dos votos válidos nesse momento.


[1] https://g1.globo.com/pa/para/eleicoes/2020/noticia/2020/10/03/pesquisaibopeembelemedmilsonrodrigues39percentpriante10percentdelegadofederaleguchi5percentgustavosefer5percent.ghtml 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s